O que são xenogêneros?

Definição original

Baaphomett cunhou xenogênero da seguinte forma:

xenogender: a gender that cannot be contained by human understandings of gender; more concerned with crafting other methods of gender categorization and hierarchy such as those relating to animals, plants, or other creatures/things

Ou seja:

xenogênero: um gênero que não pode ser contido por entendimentos humanos de gênero; uma preocupação maior em criar outros métodos de categorização e hierarquia de gênero, como relacionados a animais, plantas, e outras criaturas/coisas

Nunca achei nenhum tipo de discussão sobre a identidade que possa ter acontecido entre a cunhagem de xenogênero e o estabelecimento de xenogênero como um termo guarda-chuva importante. Mas, nos lugares onde vejo, a definição mais comum tende a ser esta:

Some people have very unconventional genders which can be hard or impossible to understand and the best way to express or explain them is to compare them to something else since the current binary is extremely limited. Many of these genders are compared to nouns and archetypes, senses and feelings, abstract concepts, and can be influenced by their synaesthetic perceptions, neurodivergent status, or their kintype.

Tradução:

Algumas pessoas possuem gêneros muito não convencionais, que podem ser difíceis ou impossíveis de entender, e o melhor jeito de expressá-los ou explicá-los é comparando-os com outras coisas, já que o binário atual é extremamente limitado. Muitos destes gêneros são comparados com substantivos e arquétipos, sentidos e sentimentos, conceitos abstratos, e podem ser influenciados por percepções sinestésicas, status de neurodivergência, ou tipo de kin.

Por muito tempo, eu não gostei de xenogênero como categoria. Isso porque nunca ficou evidente para mim o que fazia de um gênero um xenogênero e não só um gênero não-binário que não é xenogênero.

O problema de definir uma categoria de gêneros como "não convencionais" e deixar ela aberta é que, para pessoas binárias, qualquer identidade de gênero que não seja homem ou mulher está fora do convencional. Mesmo que existam pessoas que consigam entender sem muito esforço como alguém pode não ter gênero, ter gênero neutro, ou mudar de gênero entre homem e mulher, ainda existem muitas pessoas que não conseguem entender nem isso.

No entanto, com o passar do tempo, acho que fui entendendo o que essas descrições estavam tentando descrever. E é isso que vou tentar explicar aqui.

Nota: Embora meu gênero tenha certos aspectos de xenogênero, esta não é a parte principal da minha identidade, e o rótulo de gênero que uso não é classificado como xenogênero. Talvez nem todes concordem que a explicação a seguir seja precisa ou boa. Mas acredito que possa dar uma ideia de que gêneros podem ser classificados como xenogêneros, para quem não tinha nenhuma ideia anteriormente.

Uma explicação visual para xenogênero

Antes de explicar o que são xenogêneros, explicarei o que não são xenogêneros, ok?

Bem, vamos começar pelo que algumas definições chamariam de "gêneros convencionais", ou de "gêneros contidos pelos entendimentos humanos de gênero". Primeiro, ao menos em sociedades eurocêntricas ocidentais, temos gêneros binários:

Depois, podemos falar de alguns gêneros que possuem relação direta com gêneros binários:

Podemos até falar de gêneros relacionados com masculinidade e feminilidade, porque esses são arquétipos derivados de gêneros binários:

E daí temos identidades que não são diretamente relacionadas com gêneros binários, mas que podem ser entendidas mesmo que a pessoa só tenha gêneros binários (e/ou relacionados a estes) como referência:

Devo apontar que já vi pessoas em dúvida sobre se maverique poderia ou não ser xenogênero. Acredito que, embora possa ser interpretado como tal, Vesper (que cunhou o gênero) só queria conseguir descrever um gênero independente de questões binárias, de neutralidade, ou de ausência de gênero, mas que também não parecesse ser um gênero que fosse somente "para quebrar padrões" ou de quem não entende bem seu gênero.

Enfim, eu gostaria de apontar que mesmo que tenhamos aqui gêneros bem diferentes entre si, todos eles são ou podem ser definidos utilizando gêneros binários como referência direta ou indireta.

Alguns outros exemplos de identidades de gênero que não precisam de informações além de gêneros binários, masculinidade e feminilidade para serem entendidos:

Agora, vamos para gêneros que não podem ser definidos apenas com quaisquer dos gêneros citados como referência!

Podemos adicionar esses gêneros e suas referências da seguinte forma:

Note que "natureza" não é gênero, identidade de gênero ou arquétipo relacionado a gênero, ainda que possam ter gêneros relacionados à natureza, e ainda que existam metáforas que associem a natureza a algum gênero.

Por isso, ouygênero e lilapsogênero seriam xenogêneros: dependem de algo que não é gênero ou coisa relacionada para existir.

Acredito que as pessoas mais perceptivas podem se atentar a certos detalhes aqui:

  1. Lilapsogênero não é ligado a agênero?
  2. Estes gêneros não poderiam ser descritos de formas convencionais?

Em relação à primeira pergunta, a resposta é sim. Mas, ainda assim, se adicionarmos agênero ao diagrama, lilapsogênero não deixará de ser ligado com a natureza.

Em relação à segunda pergunta, a resposta também é sim.

Uma pessoa lilapsogênero pode ter essencialmente a mesma experiência de gênero que uma pessoa gênero-fluxo: um gênero que muda de intensidade em alguns momentos.

Uma pessoa pode ser ouygênero e, por exemplo:

A pessoa deste exemplo poderia se dizer femil, ou trigênero mulher/mascugênero/gênero neutro, ou mulher não-binária, identidades que já descrevemos como independentes de xenogêneros.

Mas, essas pessoas, ao usarem identidades como lilapsogênero e ouygênero, estão escolhendo trazer "imagens" específicas relacionadas com natureza, independentemente de considerarem que suas experiências de gênero precisem delas para serem descritas ou não. Portanto, estas pessoas ainda são xenogênero, e ainda possuem gêneros ligados com a natureza.

Ainda que eu não ache isso muito necessário, acho que pode ser interessante trazer mais alguns exemplos de xenogêneros e algumas de suas relações:

Como já dito anteriormente, algumas pessoas poderiam escolher usar rótulos sem ligação a estéticas/sensações/etc., enquanto outras podem só saber descrever seus gêneros destas formas. E alguns desses rótulos são relacionados com rótulos "de entendimento comum" além de terem relação com estéticas/sensações/etc. Mas tudo isso ainda conta como xenogênero.

O problema em definir xenogêneros

Espero que, até aqui, quem esteja lendo já tenha entendido mais ou menos como a divisão funciona: gênero-safira é um xenogênero por ser relacionado a safiras, algo que não é gênero, enquanto mascugênero é só relacionado com masculinidade, um conceito relacionado a gênero, então não é xenogênero.

Só que existem alguns gêneros que, segundo esta divisão, cairiam dentro de xenogênero, mas que nem sempre deveriam ser vistos como tal. Por exemplo:

Em algumas definições, neurogêneros são sempre colocados como algo dentro de xenogêneros, enquanto intergêneros não.

Acredito que isso se deva a dois fatores: pessoas neurodivergentes são muito mais frequentes em comunidades xenogênero e pró-xenogênero do que pessoas intersexo; e ser intersexo é algo que depende, bem, do sexo, algo historicamente relacionado a gênero, e que muitas pessoas ainda consideram como indicativo do gênero de alguém.

Porém, mesmo gêneros relacionados com neurodivergência não são necessariamente definidos como "gênero relacionado com autismo" ou "gênero influenciado por dislexia"; fatores considerados "fora das convenções de gênero". Por exemplo, gênero-vago é definido como uma identidade de gênero que não pode ser totalmente definida por conta de neurodivergência. E mesmo pessoas que dizem que seu gênero é definido/influenciado por neurodivergência citam que, muitas vezes, a questão é não conseguir cumprir ou entender papéis de gênero o suficiente para se sentir como um gênero binário específico.

Talvez isso seja pelo fato de eu ser neurodivergente, mas acho que isso deveria estar incluso em "entendimentos comuns de gênero", especialmente se intergêneros estão. Papéis de gênero e sexo biológico são ambas coisas que a sociedade está começando a perceber que não definem gênero; que muitas vezes foram pregadas como coisas intrínsecas a gênero, quando na verdade são fatores externos.

Uma questão que eu acharia ainda mais complicada são identidades de gênero não-ocidentais.

Ocasionalmente, tais identidades são associadas a divindades específicas, ou a trabalhos específicos. Ou, poderíamos contar que certos sistemas de gênero não são nada relacionados com o sistema ocidental baseado em gêneros binários. Mas classificar tais identidades como xenogêneros seria apenas perpetuar o colonialismo de aplicar rótulos de entendimento ocidental a identidades que não se encaixam no sistema de gênero vigente em sociedades ocidentais.

Minha conclusão é que xenogêneros só devem ser identificados como tal quando não há outra classificação grande que faça mais sentido. E, em geral, respeitando as intenções de quem cunhou cada termo.

Xeninidade

Um conceito relativamente recente é o de xeninidade: algo equivalente a termos como masculinidade, neutralidade e feminilidade, mas para xenogêneros.

Algo pode ser xenino(/xeno/dotado de xeninidade) quando é dotado de qualidades referentes a sensações, sentimentos, estéticas, cores, elementos da natureza, objetos espaciais, etc., ao invés de ser dotado de características referentes a coisas mais associadas a gêneros.

Por exemplo, alguém pode postar uma lista de ideias para roupas xeninas para quem é xenogênero, listando roupas pastéis que escondem o corpo para quem é gendoux, roupas com cores de plantas e terra para pessoas ouygênero e outras pessoas de gêneros ligados a plantas, e roupas alegres e espalhafatosas para juínes.

Ou, alguém pode falar que algume personagem fictície é super xenine, por não ligar para o que outras pessoas acham de seu gênero e falar sempre sobre alguma estética ou razão de ser específica ao invés disso.

Pessoas também podem se descrever como xeninas sem serem xenogênero. Por exemplo, uma pessoa agênero pode se identificar principalmente como agênero, mas sentir que sua falta de gênero tem uma cor específica, ou é ligada ao vácuo, ou a algo da natureza; assim como podem existir pessoas agênero que sentem conexões com masculinidade ou feminilidade. Outra pessoa pode se identificar como homem, mas sentir que seu gênero é como se fosse uma luz dentro de si; isso é uma experiência xenina de gênero!

Xênique

Pessoas xênicas são pessoas cujo alinhamento de gênero é relacionado com xeninidade ou com algum xenogênero. Para quem não sabe o que é alinhamento de gênero e quer entender, você pode ler isso aqui, mas garanto que não é um conceito super necessário de conhecer ou entender, especialmente no Brasil.

Aliás, nesse mesmo texto há um exemplo de pessoa xênica, então vamos usá-lo:

Gize é caelgênero. Por conta disso, Gize tenta ter uma expressão etérea e fora do binário. Gize também não vê nenhuma similaridade entre suas experiências e experiências binárias, e assim se identifica como xênique, que significa que sua experiência de gênero tem mais a ver com xenogêneros do que com gêneros/alinhamentos binários ou com os que são comparados a tais.

Como não vejo muitos exemplos de pessoas xênicas, fora pessoas que são xenogênero e que consideram que os únicos gêneros com os quais querem se alinhar são os próprios, aqui estão algumas suposições sobre casos diferentes:

Amie é gênero neutro. Amie só vê seu gênero como neutro, mas não gosta de roupas consideradas neutras, e também não gosta de roupas associadas com masculinidade ou feminilidade. Amie gosta de se vestir de forma exagerada e com várias camadas, com uma estética "monstra", e não se importaria com outras pessoas vendo Amie como alguém de um gênero relacionado a monstros e a algo tenebroso, além de se sentir em casa entre quem aceita gêneros assim. Por isso, Amie se vê como alguém de alinhamento xênico.

Cenli só se identifica como não-binárie, sem nenhum rótulo mais específico. Cenli sempre gostou de uma estética pastel, mas se sente desconfortável com cores pastéis serem, em geral, vistas como femininas. Cenli é xênique e se diz alinhade com gendoux, pelo quanto sente que isso é algo que tem a ver com sua identidade, ainda que não veja como seu gênero.

Arino é homem não-binário. Arino não sabe muito bem apontar como é seu gênero fora ter relação com homem e ser um gênero não-binário, mas quando pensa em seu gênero, sempre pensa que tem algo a ver com algo quente e cheio de energia. Arino não usa nenhum rótulo de xenogênero, mas vê sua experiência como xenina, e por isso se diz xênico.

Fim!

Espero que isso tenha ajudado a entender melhor xenogêneros e conceitos relacionados. Eu considero isso mais um guia de como entender se algo é xenogênero ou não do que um guia sobre como entender xenogêneros por si só, mas talvez tenha ajudado nisso também, quem sabe!